Notícias

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Quais exames de rotina fazer para manter sua saúde

Alimentação balanceada, exercício físico, ser gentil consigo mesmo e muita água: essas com certeza são recomendações para manter a boa saúde de qualquer pessoa. Mas mesmo com uma boa rotina de autocuidado, algumas doenças são oportunistas e atacam nosso organismo; devido a características genéticas ou à faixa etária, por exemplo. Por isso, é importante que você saiba quais exames de rotina fazer para identificar problemas no seu corpo e tratá-los corretamente.

Respeitar um cronograma de exames é uma prática que pode garantir o futuro da sua saúde e mesmo preservar a sua vida. Afinal, a maior parte das doenças graves que afetam as pessoas poderiam ser detectadas em check-up simples. Exames de sangue e de imagem detectam vários problemas de saúde, inclusive aqueles que ainda não apresentam sintomas. Isso é muito relevante se considerarmos que muitas doenças não dão indícios nas fases iniciais, quando o tratamento é mais rápido e eficaz.

Muitas pessoas têm preguiça ou mesmo medo de realizar exames. É claro que ninguém quer descobrir que está doente, pois isso traz uma série de alterações na vida de uma pessoa. Mas é importante ressaltar que há uma gama de doenças que só se tornam sintomáticas quando já estão em estágio avançado. É o caso de alguns tipos de câncer, que tem taxa de sobrevida muito maior com um diagnóstico precoce. Realizar exames periodicamente reduz de maneira considerável a chance de uma doença grave passar despercebida.

 

Como saber quando e quais exames de rotina fazer para manter sua saúde em dia?

Primeiramente, é importante receber avaliação clínica por parte de um médico que fará uma indicação mais precisa dos exames indicados no seu caso. Mas, via de regra, adultos saudáveis devem fazer exames de rotina de 2 em 2 anos. Para quem tem fatores de risco, como fumantes, obesos ou sedentários, a frequência deve ser anual. Já pessoas com doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, precisam de um checkup a cada seis meses.

Idade e sexo também determinam a frequência dos exames de rotina. Mulheres devem fazer os exames preventivos (como o Papanicolau e a mamografia) todos os anos; e os homens a partir dos 40 anos, precisam se prevenir contra o câncer de próstata.

 

Principais exames por grupo

Rotina Geral:

·         Hemograma: É um dos exames mais comumente solicitados pelos médicos. Identifica anomalias nas células sanguíneas (plaquetas, linfócitos, hemácias e leucócitos), e serve para o diagnóstico de doenças como anemia, leucemia e infecções.

·         Glicemia: Serve para identificar a dosagem de glicose no sangue. Alterações nos níveis de glicose sugerem a presença de diabetes.

·         Avaliação dos Lipídios no sangue (Colesterol Total, suas frações e Triglicerídeos): Mede os níveis de lipídios no sangue; que são, basicamente, gorduras. Eles desempenham diversas funções em nosso organismo, interagindo até mesmo com nossos hormônios. No entanto, quando estão em quantidades adequadas, podem causar complicações até mesmo fatais, como o AVC (Acidente Vascular Cerebral) e IAM (Infarto Agudo do Miocárdio).

·         Exame de Urina: Permite avaliar as funções renais e identificar infecções do sistema urinário, cálculos renais (pedras nos rins) e demais problemas do sistema urinário, além de outras condições do organismo, como diabetes.

·         Exame de Fezes: Avalia a presença de parasitas (vermes), protozoários (amebas, por exemplo), bactérias e vírus (como o rotavírus). Além disso, a presença de sangue nas fezes pode ser indicativo de algum problema mais grave no sistema gastrointestinal.

·         Dosagem de Creatinina e Ureia (função renal): Identifica a dosagem de ambas as substâncias, que dão uma boa noção do funcionamento renal.

·         Dosagem de TSH e T4 Livre (função tireoidiana): Utilizados para conferir o funcionamento da tireoide e avaliar se a produção de hormônios está balanceada.

·         Dosagem de PSA: A partir de 45 anos de idade é indicada anualmente a dosagem do PSA (Antígeno Prostático Específico), importante no acompanhamento e detecção precoce do câncer de próstata.

·         Exames para DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis): Sinaliza doenças sexualmente transmissíveis, como Sífilis, HIV, Hepatites, Herpes, entre outras. É muito importante para qualquer pessoa com vida sexual ativa, para quem está planejando uma gestação e também obrigatório às gestantes no pré-natal.

·         Enzimas hepáticas: Investiga o funcionamento do fígado, que é afetado por condições como uso abusivo de álcool, vários medicamentos, doenças infecciosas, acúmulo de gordura (esteatose), cânceres, entre outros. Dessa forma, as dosagens de enzimas hepáticas no sangue e também a dosagem das bilirrubinas, podem indicar a presença de algum distúrbio ou lesão no fígado. 

 

Exames preventivos para as Mulheres

·         Papanicolau: Conhecido popularmente como preventivo, para esse exame colhe-se uma amostra de células do colo do útero para identificar patologias como o câncer de colo de útero.

·         Ultrassom Transvaginal: Exame de imagem que avalia o colo do útero, útero, trompas de Falópio e os ovários. Ele possibilita observar irregularidades presentes nesses órgãos, como miomas ou endometriose, por exemplo.

·         Mamografia: Exame de imagem, essencial no rastreamento do câncer de mama. Se a doença for detectada em seus estágios iniciais, há grandes chances de cura

·         Densitometria óssea: Exame de imagem, indicado após o início da menopausa – já que a queda do estrogênio acelera a descalcificação. É solicitado para identificar e prevenir a osteoporose.

 

Rotina de Exames para Homens

·         Exame de Próstata (toque retal): Consiste na palpação da próstata para verificar se ela apresenta inchaço, nódulos ou outras alterações sugestivas de câncer. O exame de próstata, aliado à dosagem de PSA, permite a detecção de um câncer em estágio inicial, permitindo um tratamento menos agressivo e com maiores chances de cura.

 

Diagnósticos para a Terceira Idade

·         Eletrocardiograma: a partir dos 50 anos, o coração deve ser monitorado com maior atenção para prevenir quadros de insuficiência cardíaca e até mesmo infartos. Esse exame identifica alterações na frequência e nos batimentos cardíacos, entupimento das artérias, problemas nas válvulas e outras complicações. É feito por meio do registro dos batimentos em repouso e em atividade (“teste de esteira”).

·         Densitometria óssea: o exame de imagem também é indicado para os idosos, já que as chances de desenvolver osteoporose nessa faixa etária se multiplicam.

 

Interpretação dos resultados de exames e diagnósticos

Parte importante dos diagnósticos é a leitura correta dos exames. Evite tentar interpretar os dados à sua maneira, pois pode lhe gerar preocupações desnecessárias. Somente o seu médico terá todas as informações clínicas, históricos e conhecimentos necessários para formar uma avaliação mais segura e consistente, juntamente com as informações fornecidas pelos exames.